4 chaves para desenvolver seus funcionários em face da transformação digital - Lukkap: Consultor de Transformação Internacional

autor: antonella.ambort
Compartilhar:

4 segredos para desenvolver seus funcionários em face da transformação digital

A transformação digital não é mais o futuro, é o presente. Vivemos tempos de mudanças, rupturas e incertezas que nos empurram para novas necessidades, novas formas de trabalhar e reinventar o negócio. Um contexto onde a digitalização, a automação e a robótica crescem em cada local de trabalho e mudam radicalmente a cena dos trabalhadores.

Portanto, se algo está claro, é que a inovação tecnológica - como digitalização e automação -, ela não pode mais ser deixada de fora do centro da estratégia de negócios de qualquer empresa. E isso não é apenas uma redefinição de processos, mas também um reinvestimento dos recursos disponíveis para estar à altura da tarefa. A pergunta é: As empresas e os profissionais estão realmente preparados para essa transformação digital? Como podemos impulsionar o seu desenvolvimento como funcionários para serem os motores dessa mudança?

Tudo acontece tão rápido que a realidade é que, embora não saibamos como será o futuro do trabalho ou como vai surgir a demanda por talentos, as empresas estão cada vez mais conscientes de que as competências e habilidades dos próprios colaboradores não correspondem plenamente às necessidades já marcadas pela globalização e pelas mudanças tecnológicas.

50% dos funcionários precisarão de reciclagem até 2025

Na verdade, o Fórum Econômico Mundial (WEF) já nos confirma em seu relatório recente "Relatório sobre o futuro do emprego em 2020" afirmando que, conforme aumenta a adoção de tecnologia, 50% dos funcionários precisarão de reciclagem até 2025.

Assim, o grande obstáculo já está sobre a mesa: a capacidade das empresas de aproveitar o potencial de crescimento por meio de novas tecnologias é limitada pela falta de desenvolvimento de habilidades de seus funcionários. É assim que o departamento de Recursos Humanos encara um panorama de dupla complexidade: Por um lado, o mercado de talentos é estreito e, por outro, as novas competências emergentes exigidas dos nossos colaboradores ainda não estão suficientemente desenvolvidas.

Upskilling y requalificação, principais tendências no desenvolvimento de funcionários

A partir daqui, conceitos como aprimoramento y requalificação, são especialmente relevantes para enfrentar este novo contexto global. Da mesma forma, eles nos colocam Dois caminhos ao abordar a reinvenção dos perfis profissionais para enfrentar a transformação digital:

  1. Aprenda novas habilidades que sejam mais adequadas aos cargos atuais: isto é, treinamento adicional para aprimorar as competências de um trabalhador em seu cargo atual (aprimoramento).
  2. Adquirir novas competências para um trabalho completamente diferente: trata-se de uma reciclagem completa que permite ao profissional exercer uma nova definição de posição (requalificação).

Este último caso é motivado, sobretudo, pela mudança tecnológica nas empresas. Isso faz com que as empresas valorizem cada vez mais o potencial que o trabalhador possui para gerar novas oportunidades de desenvolvimento dentro da empresa, além da formação que possui.

As habilidades mais solicitadas de hoje até 2025

Dessa forma, fica evidente a necessidade de alinhar e desenvolver talentos com as novas necessidades digitais. Claro, não se trata apenas de saber usar ferramentas digitais, mas também de aumentar e melhorar habilidades interpessoais. De acordo com o WEF, Algumas das habilidades mais exigidas para o ano de 2025 serão:

  1. Pensamento crítico e analítico e inovação
  2. Aprendizado ativo
  3. Raciocínio, resolução de problemas complexos e ideação
  4. Criatividade, originalidade e iniciativa
  5. Chefia e influência social
  6. Uso, monitoramento e controle de tecnologia
  7. Design e programação de tecnologia
  8. Resiliência, tolerância ao estresse e flexibilidade

Que benefícios e vantagens o desenvolvimento de funcionários nessas habilidades traz?

  • Geração de uma cultura de aprendizagem contínua: estimula o desenvolvimento de novas habilidades úteis no nível individual, o que também impactará as sinergias na equipe.
  • Maior motivação e grau de satisfação do funcionário: graças ao apoio da empresa em relação ao crescimento e momento de desenvolvimento profissional em que cada pessoa se encontra.
  • Maior mobilidade interna: oferece aos funcionários a capacidade de mudar de posição dentro da empresa com base em seus interesses e pontos fortes.
  • Favorece a empregabilidade de cada trabalhador: dentro e fora da organização, pois ajuda a expandir suas competências, habilidades e conhecimentos.
  • Aumento de engajamento: contribui para aumentar o grau de vínculo e recomendação com a empresa.

Quais são os primeiros passos para preparar e desenvolver funcionários para a transformação digital?

1. Coloque as pessoas no centro

Para propor um modelo de desenvolvimento, é fundamental que partamos de um eixo comum: coloque as pessoas no centro. Para isso, devemos pensar e investir neles para que possam fazer uso da tecnologia e valorizar as habilidades humanas para aumentar a força e a capacidade produtiva. Colocar as pessoas em primeiro lugar envolve focar nas competências pessoais e, portanto, apostar no desenvolvimento de pessoas-chave.

2. Crie planos de desenvolvimento personalizados

Nas empresas, não existe um perfil de talento único. A realidade é que encontramos múltiplos perfis com necessidades e características próprias. Por isso, devemos criar um plano adaptado às necessidades de crescimento, marcando as prioridades de cada perfil. Tudo isso, tendo 3 objetivos claros: o desenvolvimento, desempenho e domínio do referido habilidades interpessoais no qual trabalhar.

3. Gestores, figuras-chave no desenvolvimento dos funcionários

Para que tudo isso seja possível, a figura e o desenvolvimento do líder são fundamentais, pois este será o principal motor que impulsionará a mudança. Portanto, você também deve começar preparar os responsáveis ​​para este novo desafioe ajudá-los a se envolver no desenvolvimento de seus funcionários para impulsionar o crescimento contínuo.

4. Pratique monitoramento contínuo

Finalmente, será decisivo acompanhar continuamente a evolução dentro do plano estabelecido de forma a criar ações personalizadas. Assim, devemos realizar uma medição, um mapeamento e o controle constante do grau de desenvolvimento de cada pessoa que compromete cada um com o seu próprio desenvolvimento, promovendo o talento e a meritocracia.

Assim, a realidade é que se os colaboradores perceberem o apoio e apoio da empresa no seu desenvolvimento, estaremos contribuindo para trazer uma experiência diferenciada no momento profissional de cada pessoa.

Por tudo isso, e ao contrário do que geralmente se pensa, a importância da transformação digital não está na tecnologia, mas nas pessoas. Podemos adquirir praticamente qualquer tecnologia, mas a capacidade de se adaptar e progredir em direção a um futuro ainda mais evoluído digitalmente depende profundamente do desenvolvimento da próxima geração de habilidades; para fechar a lacuna entre a oferta e a demanda de talentos, e de seu próprio potencial e o de outros para o futuro.